Jordan amava Jenna muito, faziam apenas três meses que namoravam, até parecia que nasceram um para o outro, os dois pareciam se completar. Jordan era um cara culto, fazia faculdade de Engenharia Civil e Jenna estudava Artes, ela tinha dezenove anos e ele vinte e três, ambos cristãos, ele cresceu na Igreja, era filho de um Obreiro, já ela era somente membra e seus pais não haviam se convertido ainda. Jenna era o tipo de jovem que causava inveja em muitas meninas e admiração em outras, muito dedicada aos estudos, embora não possuía cargo, ajudava no que precisasse, se era para limpar o chão da Igreja lá estava ela, se era para ajudar a servir, lá estava ela. Jordan era mais na dele, não se manifestava em nada, contribuía com sua presença, era do tipo que estudava só para as provas na faculdade, só lia os livros necessários, aproveitava ao máximo as faltas que podia, sua mãe sempre brigava por ele ser tão descansado daquele jeito, seu pai não dizia muita coisa, entregava tudo nas mãos de Deus. 
Jenna e Jordan, quem diria, resmungava algumas senhoras sentadas no banco de trás do banco da Igreja. Só porque alguns meses antes mal conversavam. Isso não era confirmação de que não pudesse dar certo. Afinal, possuíam defeitos e eram imperfeitos, conversavam horas sobre como ele amava cálculo e ela amava literatura, falavam de como ela se dedicava tanto e ele não movia quase os pés. Discutiam, se desentendiam e também se entendiam, mas não deixavam de se amar.

Três meses antes...

- Ele está olhando para você Jenna. Disse Vitória enquanto olhava para a amiga vidrada na Pastora falando na frente sobre a importância de ser amigo de Deus.
- Ele quem? (Jenna)
- O Jordan, aquele garoto que é filho do Obreiro João. (Vitória)
- hum... Quem é ele? (Jenna)
- Começou a frequentar mais a Igreja em agradecimento a Deus pela sua mãe ter sido curada de um Tumor na garganta. A cura comoveu ele e boa parte da família, por isso que eles não estão deixando de vim a nenhum culto.
Depois que Vitória terminou de falar para a Jenna sobre o rapaz Jordan que a encarava no culto, Jenna ficava observando as informações passadas e olhava atentamente para o rapaz.
 Alguns segundos depois lá estava Jenna e Jordan conversando, depois de alguns dias os dois continuavam a conversar, as conversas eram do tipo bobas, nenhuma com segundas intenções ou coisa assim. Jenna jamais imaginou que dentro da Igreja encontraria alguém que se desse tão bem com ela sendo tão diferente.
Os dois decidiram começar o namoro a Corte, era do tipo no máximo mãozinhas dadas e conversas. No começo Jordan pensou que não fosse dar certo, embora não tenha comentado nada com Jenna. Ele era mais velho, estudava em uma Universidade cheia de gatas que davam em cima dele o tempo todo, mas nenhuma era igual a Jenna, nenhuma possuía princípios cristãos, nenhuma vivia na Igreja, entendia de Bíblia, Deus e Espírito Santo como ela, ele passava horas sem falar nada observando ela contar sobre o que aprendeu com Deus naquele dia.  Já Jenna, pensou que não seria fácil namorá-lo, sabia que existia muitas garotas em volta e que talvez não fosse tão bonita, mesmo assim entregou tudo nas mãos de Deus e descansou.

Sete meses depois...

Jordan estava concluindo a Faculdade e Jenna estava planejando terminar tudo com ele. Recebera um e-mail de uma garota dizendo que Jordan a enganava e que mantivera um caso com ela durante três meses e por isso ela deveria deixá-lo, pois acabara de receber o resultado do exame e deu positivo, esperava uma criança e Jordan era o Pai. Quando leu o e-mail pensou ser vítima de uma vigarista que estava tentando roubar seu namorado, só que ao mesmo tempo deu um aperto no coração. Precisava falar com Jordan, ele deveria ter uma boa explicação para aquilo.
Pegou o celular para ligar para ele, ligou, começou a conversar sobre outras coisas, falou da aula que teve, disse sobre os ensaios do teatro da Igreja que estavam indo de vento em poupa mas não disse sobre o e-mail, na verdade ela queria que ele dissesse para ela o que havia acontecido.
Passou-se uma semana e nada dele contar. Jenna continuava a receber e-mails dela dizendo sempre que estava grávida e que o filho era dele. Outra semana e nada dele falar a verdade. Jenna não aguentou mais aquela situação, resolveu dar um basta, porém, Jordan não tinha quase tempo para ela, os últimos preparativos para a sua formatura, o seu TCC estava quase para ser apresentado, tudo estava deixando ele exausto e sem tempo. Jenna decidiu tudo isso passar.

Um mês depois...

_ Eu preciso falar com você urgente Jordan  (Jenna)
_ Pode falar querida. (Jordan)
_ Você alguma vez me traiu? Ou fez algo que eu não soubesse mesmo que depois se arrependeu me conte. (Jenna)
_ Não, eu nunca te traí.   (Jordan)
_ Porque mentes pra mim? Enquanto disse isso as lágrimas nos olhos de Jenna escorreram.
_ Eu não estou mentindo.  (Jordan)
_ Alguns meses atrás eu recebi o primeiro e-mail de uma garota chamada Brenda que disse ter tido um caso com você e está esperando um filho seu.  (Jenna)
_ Então era isso. A Brenda mentiu, eu nunca traí você com ela, nós tivemos um rolo muito antes de eu te conhecer e nada mais. O filho que ela está esperando é do Roberto, os dois estão juntos, ela ficou com raiva porque eu dispensei ela e alguns meses depois comecei a namorar sério contigo.  Não se preocupe, ela não tem a menor chance. (Jordan)
_ Ainda bem, eu estava disposta a terminar tudo contigo.  (Jenna)

Os dois se abraçaram, e ........ Bom, só posso dizer que três anos depois eles se casaram!




6 Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

01/09/2014

Quase feitos um para o outro


Jordan amava Jenna muito, faziam apenas três meses que namoravam, até parecia que nasceram um para o outro, os dois pareciam se completar. Jordan era um cara culto, fazia faculdade de Engenharia Civil e Jenna estudava Artes, ela tinha dezenove anos e ele vinte e três, ambos cristãos, ele cresceu na Igreja, era filho de um Obreiro, já ela era somente membra e seus pais não haviam se convertido ainda. Jenna era o tipo de jovem que causava inveja em muitas meninas e admiração em outras, muito dedicada aos estudos, embora não possuía cargo, ajudava no que precisasse, se era para limpar o chão da Igreja lá estava ela, se era para ajudar a servir, lá estava ela. Jordan era mais na dele, não se manifestava em nada, contribuía com sua presença, era do tipo que estudava só para as provas na faculdade, só lia os livros necessários, aproveitava ao máximo as faltas que podia, sua mãe sempre brigava por ele ser tão descansado daquele jeito, seu pai não dizia muita coisa, entregava tudo nas mãos de Deus. 
Jenna e Jordan, quem diria, resmungava algumas senhoras sentadas no banco de trás do banco da Igreja. Só porque alguns meses antes mal conversavam. Isso não era confirmação de que não pudesse dar certo. Afinal, possuíam defeitos e eram imperfeitos, conversavam horas sobre como ele amava cálculo e ela amava literatura, falavam de como ela se dedicava tanto e ele não movia quase os pés. Discutiam, se desentendiam e também se entendiam, mas não deixavam de se amar.

Três meses antes...

- Ele está olhando para você Jenna. Disse Vitória enquanto olhava para a amiga vidrada na Pastora falando na frente sobre a importância de ser amigo de Deus.
- Ele quem? (Jenna)
- O Jordan, aquele garoto que é filho do Obreiro João. (Vitória)
- hum... Quem é ele? (Jenna)
- Começou a frequentar mais a Igreja em agradecimento a Deus pela sua mãe ter sido curada de um Tumor na garganta. A cura comoveu ele e boa parte da família, por isso que eles não estão deixando de vim a nenhum culto.
Depois que Vitória terminou de falar para a Jenna sobre o rapaz Jordan que a encarava no culto, Jenna ficava observando as informações passadas e olhava atentamente para o rapaz.
 Alguns segundos depois lá estava Jenna e Jordan conversando, depois de alguns dias os dois continuavam a conversar, as conversas eram do tipo bobas, nenhuma com segundas intenções ou coisa assim. Jenna jamais imaginou que dentro da Igreja encontraria alguém que se desse tão bem com ela sendo tão diferente.
Os dois decidiram começar o namoro a Corte, era do tipo no máximo mãozinhas dadas e conversas. No começo Jordan pensou que não fosse dar certo, embora não tenha comentado nada com Jenna. Ele era mais velho, estudava em uma Universidade cheia de gatas que davam em cima dele o tempo todo, mas nenhuma era igual a Jenna, nenhuma possuía princípios cristãos, nenhuma vivia na Igreja, entendia de Bíblia, Deus e Espírito Santo como ela, ele passava horas sem falar nada observando ela contar sobre o que aprendeu com Deus naquele dia.  Já Jenna, pensou que não seria fácil namorá-lo, sabia que existia muitas garotas em volta e que talvez não fosse tão bonita, mesmo assim entregou tudo nas mãos de Deus e descansou.

Sete meses depois...

Jordan estava concluindo a Faculdade e Jenna estava planejando terminar tudo com ele. Recebera um e-mail de uma garota dizendo que Jordan a enganava e que mantivera um caso com ela durante três meses e por isso ela deveria deixá-lo, pois acabara de receber o resultado do exame e deu positivo, esperava uma criança e Jordan era o Pai. Quando leu o e-mail pensou ser vítima de uma vigarista que estava tentando roubar seu namorado, só que ao mesmo tempo deu um aperto no coração. Precisava falar com Jordan, ele deveria ter uma boa explicação para aquilo.
Pegou o celular para ligar para ele, ligou, começou a conversar sobre outras coisas, falou da aula que teve, disse sobre os ensaios do teatro da Igreja que estavam indo de vento em poupa mas não disse sobre o e-mail, na verdade ela queria que ele dissesse para ela o que havia acontecido.
Passou-se uma semana e nada dele contar. Jenna continuava a receber e-mails dela dizendo sempre que estava grávida e que o filho era dele. Outra semana e nada dele falar a verdade. Jenna não aguentou mais aquela situação, resolveu dar um basta, porém, Jordan não tinha quase tempo para ela, os últimos preparativos para a sua formatura, o seu TCC estava quase para ser apresentado, tudo estava deixando ele exausto e sem tempo. Jenna decidiu tudo isso passar.

Um mês depois...

_ Eu preciso falar com você urgente Jordan  (Jenna)
_ Pode falar querida. (Jordan)
_ Você alguma vez me traiu? Ou fez algo que eu não soubesse mesmo que depois se arrependeu me conte. (Jenna)
_ Não, eu nunca te traí.   (Jordan)
_ Porque mentes pra mim? Enquanto disse isso as lágrimas nos olhos de Jenna escorreram.
_ Eu não estou mentindo.  (Jordan)
_ Alguns meses atrás eu recebi o primeiro e-mail de uma garota chamada Brenda que disse ter tido um caso com você e está esperando um filho seu.  (Jenna)
_ Então era isso. A Brenda mentiu, eu nunca traí você com ela, nós tivemos um rolo muito antes de eu te conhecer e nada mais. O filho que ela está esperando é do Roberto, os dois estão juntos, ela ficou com raiva porque eu dispensei ela e alguns meses depois comecei a namorar sério contigo.  Não se preocupe, ela não tem a menor chance. (Jordan)
_ Ainda bem, eu estava disposta a terminar tudo contigo.  (Jenna)

Os dois se abraçaram, e ........ Bom, só posso dizer que três anos depois eles se casaram!



6 comentários: