17/07/2015

Saudades de Você


Oi, filho(a), como você está? Eu sei, mas quero que você me conte. É que eu sinto falta de você, filho (a). Antigamente você falava mais comigo. O que aconteceu? Eu vejo você tão triste. Se você ao menos viesse até mim, eu te ajudaria, filho(a), eu ajudaria sim. Mas, você não vem. Você nunca mais veio.
Eu tentei te animar, hoje pela manhã. Eu fiz o sol nascer lindo, do jeito que você gosta. Mas você nem viu. Ou, viu? Eu acho que você estava ocupado demais reclamando do calor. Mas, eu não entendo, filho(a). Ontem eu fiz diferente e fiz a chuva cair pra regar o seu jardim e florescer algo bem bonito pra você. Mas você não viu também. Eu acho que você estava ocupado demais reclamando do quanto o engarrafamento aumenta nos dias chuvosos, ah, e tinha algo sobre como seu cabelo piora ainda mais com a umidade também.
Ah, o seu cabelo. Eu conheço cada fiozinho dele. Eu o fiz. Assim como fiz os seus olhos, que não olham mais pra mim. A sua boca, que você nunca mais usou pra me chamar de Pai. Os joelhos, que se tornaram tão inflexíveis e nunca mais se dobraram pra falar comigo. Você se prostra diante de tantas coisas, filho(a). Você se prostra diante das dificuldades, dos problemas, das pessoas, mas você nunca mais se prostrou diante de mim.
Eu te dei um corpo perfeito. Mas você não o acha bonito. Você está tão vazio por dentro que passa a sua vida tentando alcançar a imagem de perfeição que você mesmo adotou, por fora. Você mesmo tem se destruído, filho(a). Por que você está se machucando? Por que está se destruindo? Você acha que o que eu fiz não foi o suficiente? Ah, se você soubesse, filho(a). Ah, se você estivesse lá. Se você soubesse da surpreendente verdade que ninguém nunca contou pra você. Ou, que você fez pouco caso, quando contaram. Se você realmente entendesse a veracidade e a profundeza disso, filho(a). Eu queria que você entendesse.
Você caminha cada dia pra mais longe de mim. E tudo que eu queria era ter você perto. Eu criei você pra ser meu amigo, mas você deixou pessoas e situações atrapalharem a nossa amizade, filho(a). Eles enganaram você. Eles fizeram você pensar que eu não amava você. Eles disseram que você não era bom o suficiente. Eles disseram que você era indigno demais pra ser meu amigo. Eles machucaram você, filho(a). Eles criaram uma imagem irreal de mim e você acreditou no que eles disseram, e não no que eu tenho tentado te dizer a sua vida toda. Essa vida que eu dei pra você. Mas você não me ouve.
Você acha que eu sou um monstro. Você acha que eu sou alguém indiferente, porque eu nunca impedi você de sofrer. Mas, as escolhas foram suas, filho(a). Eu não posso interferir nisso. É a liberdade que eu dei pra você e pra todas as outras pessoas. Vocês fazem má uso dela e colocam a culpa em mim. Você age indo contra tudo que eu te ensinei e quando as coisas dão errado, você coloca a culpa em mim. Eu queria que você me visse como seu amigo, filho(a), mas você tem sido meu inimigo. Você tem falado palavras tão duras ao meu respeito. Isso, quando você não age como se eu não existisse. Eu não sei o que é pior. Eu não sei se me corta mais o coração você pensar que eu não existo ou saber que sim, mas continuar sendo indiferente a isso. Eu não sei, mas isso não muda em nada o meu amor por você, filho(a). E é isso que eu quero que você saiba.
Eu nunca rejeitei você. Não importa o que as pessoas dizem. Eu nunca virei as costas pra você, não importa o que as circunstâncias dizem. Eu sempre estive aqui, filho(a). Eu nunca sai daqui. Eu sinto muito se a igreja não te aceitou. Eu sinto muito se as pessoas não souberam me apresentar pra você como eu realmente sou. Eu tenho sido distorcido por tanto tempo, em tantas bocas, em tantas vidas, filho(a). Eu não sou o que eles dizem. Eu não quero o que eles dizem. E por causa de muitos que não souberam me explicar pra você, e pela sua falta de interesse, você desistiu de me conhecer.
Eu sinto muito por você não sentir nada. Eu criei sentimentos tão bonitos pra você experimentar. Mas você se agarra aos que você está escravizado. Rancor, mágoas, perdão não liberado, orgulho, ganância, inveja. Esse vazio agudo dentro do peito que nada do que você faz supre. Ah, filho(a), eu quero tanto preenchê-lo. Eu quero tanto te entregar o que eu preparei pra você. Mas você não quer, filho(a). Você tem vivido a sua vida toda de braços cruzados pra mim. Justo pra mim, filho(a), que enviei o meu bem mais precioso morrer naquela cruz de braços abertos por você. Se você conseguisse entender tudo o que isso envolve. Mas você não consegue, filho(a), porque você nem quer. Você tornou o meu amor algo banal, que você ouve como quem ouve um "bom dia". Quando alguém diz que eu amo você, que alguém morreu por você, você já não sente nada.
A verdade é que você não me ama. Às vezes, você diz que me tem no seu coração. Mas você nem sabe o que é isso, filho(a). Você nem sabe quem eu verdadeiramente sou. Você nem sabe tudo o que eu faço por você. Se você realmente me tivesse no seu coração, você não faria tudo o que você faz sem nem pensar em mim. Se você me tivesse no seu coração, você conversaria comigo. Se você me tivesse no seu coração, você falaria de mim pras pessoas. Se você me tivesse no seu coração, você se importaria com o que eu penso, filho(a). Mas, você não se importa, não é? Você acha que você sabe de tudo e não precisa de mim. Afinal, você é grandinho e inteligente. Eu sou sua última alternativa, não sou? Quando nada do que você faz dá certo, lá de vez em quando, você corre pra mim. E eu doo o meu melhor pra você. Eu te ponho no meu colo, consolo e levanto pra caminhar comigo, mas aí você sai correndo de novo e só volta quando rala o joelho.
Você tem os seus desejos, você tem os seus projetos. E não há espaço para mim neles. Ah, filho(a), se você soubesse como os meus são muito melhores. Ah, filho(a), se você soubesse o quão cego você tem andado. Eu te amo e nada do que você faz pode mudar isso. Mas, você não tem me amado, filho(a). Ah, você não. Não tente mentir pra mim, pare de mentir para si mesmo, também. Você não acredita quando alguém diz que lhe ama se todas as suas atitudes mostram o contrário. Eu também sou muito esperto, filho(a). Aliás, fui eu quem lhe dei inteligência. Você puxou a mim, em muitos aspectos. Mas eu quero te fazer sábio, filho(a). Eu quero abrir os seus olhos pra enxergar o oceano que há além dessa pequena gotinha a que você tem se detido a sua vida inteira.
Eu quero dizer coisas tão bonitas pra você. Eu quero contar como eu criei você. Quero contar o que eu planejei pra você, por que você está aqui nessa terra e todas essas perguntas que você se faz o tempo todo. Eu sou a resposta pra todas elas, filho(a), se ao menos você me ouvisse. Você não vê o vento, mas não nega a existência dele. Você não entende milhares de coisas que estão nesse exato momento funcionando a sua volta, mas nunca questionou a realidade delas, mesmo assim. Por que eu? Por que comigo? Eu te amo tanto. E essa é a surpreendente verdade que, talvez, ninguém nunca tenha te contado: Os braços que se abriram naquela cruz, nunca se fecharam. A minha mão nunca deixou de estar estendida, mas para que você a segure, é preciso soltar o seu orgulho, a sua ilusão de independência, a sua pose de quem sabe tudo. Mas você não solta.
Eu criei o universo pra você, filho(a). E eu só pedi reciprocidade, mas você a negligenciou. Mesmo assim, eu enviei alguém pra morrer no seu lugar, pra quitar a sua conta, pegando cada dívida sua e assinando o meu nome embaixo. Mesmo assim, você não reconheceu. Eu ainda envio pessoas pra falarem de mim pra você. Eu ainda faço milagres todos os dias a sua volta, pra ver se você volta a sentir alguma coisa por mim, de alguma forma, mas você se tornou tão duro. Eu permaneci sendo fiel, mesmo quando você não permaneceu. Eu enviei alguém pra dar a vida por você, esperando que você pudesse dar a sua pra mim. Mas você não dá, você nunca deu.
Mesmo assim, amanhã eu estarei aqui de novo. E eu farei o sol nascer, pra te dar bom dia, mais uma vez. Farei os pássaros cantarem bem cedinho, assim como hoje, quando você acordou. O meu amor continua sendo o mesmo hoje, assim como amanhã também vai continuar. Volta pra casa logo. Eu continuo querendo ser o seu Pai, mesmo tendo visto, até aqui, você querer se emancipar.
Com amor, do próprio Verbo "amar".


Fonte: https://www.facebook.com/Evangelho.do.Reino.Jesus/posts/1659532750951049

8 comentários:

  1. Meu deus, que texto lindo!!
    Fiquei emocionada e arrepiada, me fez lembrar de tanta coisa enquanto eu estava longe do Pai....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Sentir o mesmo que você rs Ele traz uma edificação muito boa...
      Um forte abraço.
      Agradeço sua visita! ;)

      Excluir
  2. Gentee, que coisa lindaaa!!! Tudo q eu precisava...😊😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glória a Deus!
      Um forte abraço.
      Agradeço a sua visita!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

17/07/2015

Saudades de Você


Oi, filho(a), como você está? Eu sei, mas quero que você me conte. É que eu sinto falta de você, filho (a). Antigamente você falava mais comigo. O que aconteceu? Eu vejo você tão triste. Se você ao menos viesse até mim, eu te ajudaria, filho(a), eu ajudaria sim. Mas, você não vem. Você nunca mais veio.
Eu tentei te animar, hoje pela manhã. Eu fiz o sol nascer lindo, do jeito que você gosta. Mas você nem viu. Ou, viu? Eu acho que você estava ocupado demais reclamando do calor. Mas, eu não entendo, filho(a). Ontem eu fiz diferente e fiz a chuva cair pra regar o seu jardim e florescer algo bem bonito pra você. Mas você não viu também. Eu acho que você estava ocupado demais reclamando do quanto o engarrafamento aumenta nos dias chuvosos, ah, e tinha algo sobre como seu cabelo piora ainda mais com a umidade também.
Ah, o seu cabelo. Eu conheço cada fiozinho dele. Eu o fiz. Assim como fiz os seus olhos, que não olham mais pra mim. A sua boca, que você nunca mais usou pra me chamar de Pai. Os joelhos, que se tornaram tão inflexíveis e nunca mais se dobraram pra falar comigo. Você se prostra diante de tantas coisas, filho(a). Você se prostra diante das dificuldades, dos problemas, das pessoas, mas você nunca mais se prostrou diante de mim.
Eu te dei um corpo perfeito. Mas você não o acha bonito. Você está tão vazio por dentro que passa a sua vida tentando alcançar a imagem de perfeição que você mesmo adotou, por fora. Você mesmo tem se destruído, filho(a). Por que você está se machucando? Por que está se destruindo? Você acha que o que eu fiz não foi o suficiente? Ah, se você soubesse, filho(a). Ah, se você estivesse lá. Se você soubesse da surpreendente verdade que ninguém nunca contou pra você. Ou, que você fez pouco caso, quando contaram. Se você realmente entendesse a veracidade e a profundeza disso, filho(a). Eu queria que você entendesse.
Você caminha cada dia pra mais longe de mim. E tudo que eu queria era ter você perto. Eu criei você pra ser meu amigo, mas você deixou pessoas e situações atrapalharem a nossa amizade, filho(a). Eles enganaram você. Eles fizeram você pensar que eu não amava você. Eles disseram que você não era bom o suficiente. Eles disseram que você era indigno demais pra ser meu amigo. Eles machucaram você, filho(a). Eles criaram uma imagem irreal de mim e você acreditou no que eles disseram, e não no que eu tenho tentado te dizer a sua vida toda. Essa vida que eu dei pra você. Mas você não me ouve.
Você acha que eu sou um monstro. Você acha que eu sou alguém indiferente, porque eu nunca impedi você de sofrer. Mas, as escolhas foram suas, filho(a). Eu não posso interferir nisso. É a liberdade que eu dei pra você e pra todas as outras pessoas. Vocês fazem má uso dela e colocam a culpa em mim. Você age indo contra tudo que eu te ensinei e quando as coisas dão errado, você coloca a culpa em mim. Eu queria que você me visse como seu amigo, filho(a), mas você tem sido meu inimigo. Você tem falado palavras tão duras ao meu respeito. Isso, quando você não age como se eu não existisse. Eu não sei o que é pior. Eu não sei se me corta mais o coração você pensar que eu não existo ou saber que sim, mas continuar sendo indiferente a isso. Eu não sei, mas isso não muda em nada o meu amor por você, filho(a). E é isso que eu quero que você saiba.
Eu nunca rejeitei você. Não importa o que as pessoas dizem. Eu nunca virei as costas pra você, não importa o que as circunstâncias dizem. Eu sempre estive aqui, filho(a). Eu nunca sai daqui. Eu sinto muito se a igreja não te aceitou. Eu sinto muito se as pessoas não souberam me apresentar pra você como eu realmente sou. Eu tenho sido distorcido por tanto tempo, em tantas bocas, em tantas vidas, filho(a). Eu não sou o que eles dizem. Eu não quero o que eles dizem. E por causa de muitos que não souberam me explicar pra você, e pela sua falta de interesse, você desistiu de me conhecer.
Eu sinto muito por você não sentir nada. Eu criei sentimentos tão bonitos pra você experimentar. Mas você se agarra aos que você está escravizado. Rancor, mágoas, perdão não liberado, orgulho, ganância, inveja. Esse vazio agudo dentro do peito que nada do que você faz supre. Ah, filho(a), eu quero tanto preenchê-lo. Eu quero tanto te entregar o que eu preparei pra você. Mas você não quer, filho(a). Você tem vivido a sua vida toda de braços cruzados pra mim. Justo pra mim, filho(a), que enviei o meu bem mais precioso morrer naquela cruz de braços abertos por você. Se você conseguisse entender tudo o que isso envolve. Mas você não consegue, filho(a), porque você nem quer. Você tornou o meu amor algo banal, que você ouve como quem ouve um "bom dia". Quando alguém diz que eu amo você, que alguém morreu por você, você já não sente nada.
A verdade é que você não me ama. Às vezes, você diz que me tem no seu coração. Mas você nem sabe o que é isso, filho(a). Você nem sabe quem eu verdadeiramente sou. Você nem sabe tudo o que eu faço por você. Se você realmente me tivesse no seu coração, você não faria tudo o que você faz sem nem pensar em mim. Se você me tivesse no seu coração, você conversaria comigo. Se você me tivesse no seu coração, você falaria de mim pras pessoas. Se você me tivesse no seu coração, você se importaria com o que eu penso, filho(a). Mas, você não se importa, não é? Você acha que você sabe de tudo e não precisa de mim. Afinal, você é grandinho e inteligente. Eu sou sua última alternativa, não sou? Quando nada do que você faz dá certo, lá de vez em quando, você corre pra mim. E eu doo o meu melhor pra você. Eu te ponho no meu colo, consolo e levanto pra caminhar comigo, mas aí você sai correndo de novo e só volta quando rala o joelho.
Você tem os seus desejos, você tem os seus projetos. E não há espaço para mim neles. Ah, filho(a), se você soubesse como os meus são muito melhores. Ah, filho(a), se você soubesse o quão cego você tem andado. Eu te amo e nada do que você faz pode mudar isso. Mas, você não tem me amado, filho(a). Ah, você não. Não tente mentir pra mim, pare de mentir para si mesmo, também. Você não acredita quando alguém diz que lhe ama se todas as suas atitudes mostram o contrário. Eu também sou muito esperto, filho(a). Aliás, fui eu quem lhe dei inteligência. Você puxou a mim, em muitos aspectos. Mas eu quero te fazer sábio, filho(a). Eu quero abrir os seus olhos pra enxergar o oceano que há além dessa pequena gotinha a que você tem se detido a sua vida inteira.
Eu quero dizer coisas tão bonitas pra você. Eu quero contar como eu criei você. Quero contar o que eu planejei pra você, por que você está aqui nessa terra e todas essas perguntas que você se faz o tempo todo. Eu sou a resposta pra todas elas, filho(a), se ao menos você me ouvisse. Você não vê o vento, mas não nega a existência dele. Você não entende milhares de coisas que estão nesse exato momento funcionando a sua volta, mas nunca questionou a realidade delas, mesmo assim. Por que eu? Por que comigo? Eu te amo tanto. E essa é a surpreendente verdade que, talvez, ninguém nunca tenha te contado: Os braços que se abriram naquela cruz, nunca se fecharam. A minha mão nunca deixou de estar estendida, mas para que você a segure, é preciso soltar o seu orgulho, a sua ilusão de independência, a sua pose de quem sabe tudo. Mas você não solta.
Eu criei o universo pra você, filho(a). E eu só pedi reciprocidade, mas você a negligenciou. Mesmo assim, eu enviei alguém pra morrer no seu lugar, pra quitar a sua conta, pegando cada dívida sua e assinando o meu nome embaixo. Mesmo assim, você não reconheceu. Eu ainda envio pessoas pra falarem de mim pra você. Eu ainda faço milagres todos os dias a sua volta, pra ver se você volta a sentir alguma coisa por mim, de alguma forma, mas você se tornou tão duro. Eu permaneci sendo fiel, mesmo quando você não permaneceu. Eu enviei alguém pra dar a vida por você, esperando que você pudesse dar a sua pra mim. Mas você não dá, você nunca deu.
Mesmo assim, amanhã eu estarei aqui de novo. E eu farei o sol nascer, pra te dar bom dia, mais uma vez. Farei os pássaros cantarem bem cedinho, assim como hoje, quando você acordou. O meu amor continua sendo o mesmo hoje, assim como amanhã também vai continuar. Volta pra casa logo. Eu continuo querendo ser o seu Pai, mesmo tendo visto, até aqui, você querer se emancipar.
Com amor, do próprio Verbo "amar".


Fonte: https://www.facebook.com/Evangelho.do.Reino.Jesus/posts/1659532750951049

8 comentários:

  1. Meu deus, que texto lindo!!
    Fiquei emocionada e arrepiada, me fez lembrar de tanta coisa enquanto eu estava longe do Pai....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Sentir o mesmo que você rs Ele traz uma edificação muito boa...
      Um forte abraço.
      Agradeço sua visita! ;)

      Excluir
  2. Gentee, que coisa lindaaa!!! Tudo q eu precisava...😊😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glória a Deus!
      Um forte abraço.
      Agradeço a sua visita!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aviso!

Imagens própria e da Internet. Textos escritos por Edmara Oliveira. Não ao plágio. Não é autorizado qualquer cópia sem seu consentimento. Plágio é crime, Artigo 184 do código penal.

Online

Tecnologia do Blogger.

Like us

Leia Gospel +

Licença

© RM Desing - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tema Base: Butlariz.
imagem-logo