Já estava anoitecendo e ela estava terminando de se arrumar para ir á Igreja, era um dos culto em que ia menos pessoas mas mesmo assim era um dos seus preferidos. Lívia queria ir de coração aberto para poder receber tudo o que Deus quisesse falar com ela naquele culto. Sua mãe estava arrumada, seu pai estava dentro do carro mais o seu irmão de nove anos buzinando para que elas fossem logo senão iriam chegar atrasados no culto. Quem não conhece alguém assim que se arruma rápido e depois fica te apressando mas ela sabe que tem uma pitada de culpa por ser lerda. Era assim sempre, sua família era como qualquer outra em vez em quando eles discutiam por motivos tolos e depois pediam perdão um para o outro, até mesmo os amigos e conhecidos da família ficavam admirados com a união que eles tinham. Não era assim nas outras famílias que eles conheciam, nas outras famílias sempre tinham quem se odiasse e jamais pedia perdão. Eles não concordavam com esse modo de agir, eram cristãos e aprenderam que o perdão é o melhor remédio e a falta dele é um veneno que vai matando dia após dia. 
       Lívia sempre foi uma moça comportada até os quatorze anos, lia a Bíblia todos os dias, meditava na revista da escola Dominical, fazia orações, era uma boa moça. Naquele ano em que completou quatorze fez amizade com uma moça chamada Melina que era o oposto de Lívia, essa moça começou a levá-la para festas, levou-a para a sua casa onde morava com uma tia que gostava de beber e fumar. Lívia tentou resistir as influências de Melina no começo, só que ela era muito amiga de um rapaz que ela gostava e um dia a Melina lhe contou que ele disse que queria namorar com ela só que ela era muito certinha e apegada a religião, como a Melina era sua amiga lhe contou e aconselhou-lhe a mudar e ser uma moça mais atraente e mais solta então Lívia resolveu mudar. Seus pais não concordavam com essa amizade e nem queriam que ela se afastasse dessa amiga, mas mesmo assim Lívia começou a sair com ela escondido. Não entrava mais na Igreja, de lá ia para a festa e assim foi indo. Melina tinha garantido a ela que iria arrumar o tal rapaz para ela e o fez. Ele era bonito e Lívia não era o tipo de garoto que alguém se interesse mas como ele devia um favor de um suspeito lance que sabe lá Deus o que, foi obrigado a agarrar Lívia.
        Alguns meses depois Lívia já estava totalmente outra pessoa, falava alto, fumava e bebia, suas roupas também eram outras, seu comportamento e sua vida também. Como estava se sentindo mal, foi fazer o teste de gravidez e deu positivo, sua cabeça virou, não podia ser verdade mas era, ela estava grávida, o pai era aquele rapaz que teve um lance com ela e depois partiu para outra. Ligou para sua amiga Melina que não quis  saber de a ajudar, ficou decepcionada pois achava que era uma amizade de todas as horas, se enganou. O pai da criança não quis saber, Lívia se viu sozinha e sem ninguém para lhe socorrer. Não tinha outra alternativa, foi procurar seus pais, chorando achando que iriam lhe expulsar de casa e assim estaria completamente sem chão. Bateu na porta, eles ficaram surpresos pois fazia meses que ela tinha saído de casa para morar com uma amiga que era maior de idade que Melina tinha lhe apresentado, essa amiga não queria mais morar com ela quando soube de sua gravidez. Seus pais a abraçaram quando pediu perdão e contou para eles que estava disposta a mudar. Seu pai chamou o seu irmão mais novo, pegou a Bíblia e leu aquela passagem que conta a história do filho pródigo, e por último repetiu esse versículo:
Convinha, porém, fazermos festa, pois este teu irmão estava morto, e reviveu; tinha se perdido, e foi achado.Lucas 15:32
       Seus pais a ajudaram a cuidar de seu filho que chamou de Caio. Voltou para a Igreja e também a ser uma boa filha.







2 Comentários

  1. Oi meu anjo muito bom o texto, e esta parte da biblia e muito bonita pois sempre no nos alegramos quando u sr amado seja filho, mae ou irmao volta pra casa. beijos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

23/07/2013

Tinha se perdido, e foi achado

     
        Já estava anoitecendo e ela estava terminando de se arrumar para ir á Igreja, era um dos culto em que ia menos pessoas mas mesmo assim era um dos seus preferidos. Lívia queria ir de coração aberto para poder receber tudo o que Deus quisesse falar com ela naquele culto. Sua mãe estava arrumada, seu pai estava dentro do carro mais o seu irmão de nove anos buzinando para que elas fossem logo senão iriam chegar atrasados no culto. Quem não conhece alguém assim que se arruma rápido e depois fica te apressando mas ela sabe que tem uma pitada de culpa por ser lerda. Era assim sempre, sua família era como qualquer outra em vez em quando eles discutiam por motivos tolos e depois pediam perdão um para o outro, até mesmo os amigos e conhecidos da família ficavam admirados com a união que eles tinham. Não era assim nas outras famílias que eles conheciam, nas outras famílias sempre tinham quem se odiasse e jamais pedia perdão. Eles não concordavam com esse modo de agir, eram cristãos e aprenderam que o perdão é o melhor remédio e a falta dele é um veneno que vai matando dia após dia. 
       Lívia sempre foi uma moça comportada até os quatorze anos, lia a Bíblia todos os dias, meditava na revista da escola Dominical, fazia orações, era uma boa moça. Naquele ano em que completou quatorze fez amizade com uma moça chamada Melina que era o oposto de Lívia, essa moça começou a levá-la para festas, levou-a para a sua casa onde morava com uma tia que gostava de beber e fumar. Lívia tentou resistir as influências de Melina no começo, só que ela era muito amiga de um rapaz que ela gostava e um dia a Melina lhe contou que ele disse que queria namorar com ela só que ela era muito certinha e apegada a religião, como a Melina era sua amiga lhe contou e aconselhou-lhe a mudar e ser uma moça mais atraente e mais solta então Lívia resolveu mudar. Seus pais não concordavam com essa amizade e nem queriam que ela se afastasse dessa amiga, mas mesmo assim Lívia começou a sair com ela escondido. Não entrava mais na Igreja, de lá ia para a festa e assim foi indo. Melina tinha garantido a ela que iria arrumar o tal rapaz para ela e o fez. Ele era bonito e Lívia não era o tipo de garoto que alguém se interesse mas como ele devia um favor de um suspeito lance que sabe lá Deus o que, foi obrigado a agarrar Lívia.
        Alguns meses depois Lívia já estava totalmente outra pessoa, falava alto, fumava e bebia, suas roupas também eram outras, seu comportamento e sua vida também. Como estava se sentindo mal, foi fazer o teste de gravidez e deu positivo, sua cabeça virou, não podia ser verdade mas era, ela estava grávida, o pai era aquele rapaz que teve um lance com ela e depois partiu para outra. Ligou para sua amiga Melina que não quis  saber de a ajudar, ficou decepcionada pois achava que era uma amizade de todas as horas, se enganou. O pai da criança não quis saber, Lívia se viu sozinha e sem ninguém para lhe socorrer. Não tinha outra alternativa, foi procurar seus pais, chorando achando que iriam lhe expulsar de casa e assim estaria completamente sem chão. Bateu na porta, eles ficaram surpresos pois fazia meses que ela tinha saído de casa para morar com uma amiga que era maior de idade que Melina tinha lhe apresentado, essa amiga não queria mais morar com ela quando soube de sua gravidez. Seus pais a abraçaram quando pediu perdão e contou para eles que estava disposta a mudar. Seu pai chamou o seu irmão mais novo, pegou a Bíblia e leu aquela passagem que conta a história do filho pródigo, e por último repetiu esse versículo:
Convinha, porém, fazermos festa, pois este teu irmão estava morto, e reviveu; tinha se perdido, e foi achado.Lucas 15:32
       Seus pais a ajudaram a cuidar de seu filho que chamou de Caio. Voltou para a Igreja e também a ser uma boa filha.






2 comentários:

  1. Oi meu anjo muito bom o texto, e esta parte da biblia e muito bonita pois sempre no nos alegramos quando u sr amado seja filho, mae ou irmao volta pra casa. beijos

    ResponderExcluir