Era difícil de compreender e talvez nem chegasse a entender o porque que Deus havia deixado sua irmã morrer, ela era tão dócil, alegre, um exemplo de menina de Deus. Na verdade ela sempre fez tudo o que Deus quis, nunca tinha ficado com ninguém, na escola só tirava notas altas, não respondia o papai e a mamãe e nem saía sem a permissão deles. Felipe não entendia o porquê Deus havia deixado sua irmã Brenda, tão nova de apenas 14 anos morrer de câncer, aquela maldita doença que só serve para arruinar a vida do ser humano.
       Antes de descobrir que estava com câncer Brenda era a mais feliz das garotas, uma cristã que só fazia o bem, todos os finais de semana ela ia com a irmã Maria visitar as pessoas necessitadas, elas levavam cestas básicas e também o amor de Deus através da leitura da Bíblia, viam no rosto daquelas pessoas um sofrimento que só Deus podia curar. Brenda se sentia melhor todas as vezes em que visitava essas pessoas, sentia que estava fazendo o que Deus queria que fizesse, ela também falava de Deus para suas colegas da escola, elas sempre a ignoravam, chegou até a ser chamada de "crente certinha", ela sabia que as suas colegas não entendiam que Deus era mais real do que elas mesmas, mesmo assim as perdoava e em seu coração não tinha ódio, o amor reinava em tudo o que fazia. Ela lia a Bíblia todos os dias, era o seu espelho, sabia como estava todas as vezes que a lia. Seu irmão, o Felipe era mais relaxado, não lia sempre a Bíblia e nem levava a sério a sua vida com Deus. Começou a se envolver com as meninas cedo, aos quinze anos já tinha tido três namoradas, agora que havia completado vinte anos estava começando a ser mais maduro mas continuava com as mesmas atitudes infantis. 
      Todas as vezes que ia na Igreja não assistia o culto inteiro, ficava para dentro e pra fora, as pregações sempre dizia o que ele não queria escutar, para ele era uma chatice ficar ouvindo aquelas coisas do tipo: "você tem que mudar", "Deus quer que você se arrependa dos seus pecados" e blá,blá,blá, arrasava corações mas não queria se meter com nenhuma garota da Igreja, se achava errado demais para querer se envolver com uma garota certa. Estava errado, disso estava certo, mas mudar envolve muita coisa que ele não gostaria de passar. Na escola ele sempre tirava a média para passar, nunca fez questão em ser melhor do que ninguém, para ele o que bastava é atingir o seu objetivo de passar de ano. Depois que sua irmã descobriu que estava com câncer sua vida mudou, ele não era o mesmo. Isso era a coisa mais ruim que podia acontecer na vida de alguém, uma doença, mas porquê ela, se perguntava todos os dias. Ela era a garota perfeita, se Deus quisesse castigar alguém, ele era a pessoa certa, pois sempre quis contrariar a vontade de dele em sua vida mas ela era tão frágil, delicada, amorosa, cristã, seus pais nem se importavam tanto com suas rebeldias quando olhavam para ela pois sempre fez tudo o que eles quiseram. Eles amavam falar para os amigos e parentes que sua filha era a número um da classe que os professores sempre a elogiavam, sem falar que era a número um na Igreja, o Pastor e os irmãos viviam citando ela como um exemplo a ser seguido, sem dúvidas, ela era a garota. Se Deus pretendia chamar a sua atenção, tinha conseguido. Felipe estava pra baixo, até deixou de lado essa história de que homem não chora e se viu aos prantos quando viu sua irmã começar a quimioterapia, sua vida virou de cabeça pra baixo, estava de dia e noite pensando se sua irmã teria chance de viver. Deixou de lado o futebol com os amigos, o cinema com a gatinha que conhecera no final de semana passado tudo para poder ficar ao lado de sua irmã no hospital, a essas altura não sabia se no futuro veria sua irmã se casando e se formando, não queria ser pessimista mas sabia que não. A vida é frágil e as pessoas nem sempre tomam os cuidados necessários para aproveitá-la como se deve. Seus pais viviam em função de cuidar de Brenda, os parentes e amigos já visitavam-a com mais frequência, todos que há viam choravam rios de lágrimas, não compreendiam o porquê de uma menina tão jovem estar no final da vida. Sempre temos a impressão de que a morte só vem para quem está velho mas a verdade é que a morte vem para qualquer um a qualquer momento e em qualquer lugar. Brenda morreu, aos quatorze anos e ás 14:00 h da tarde de uma quinta feira, levou consigo uma fé inabalável naquele que nos amou primeiro, Jesus, foi-se um exemplo de uma cristã que viveu até o último segundo de sua vida servindo a Deus. 
          Felipe se revoltou ainda mais contra Deus não admitia o que tinha acontecido, para ele se Deus tem o controle de tudo porquê deixou sua irmã morrer? Chorava, se lamentava, se derramava em cima do caixão de Brenda, seus pais estavam aos prantos, os amigos e parentes tentavam consolá-los mas não havia palavras para um momento como esse. A cerimônia de velório começou, Felipe esperou o Pastor terminar para depois conversar com ele. 
          - Pastor, porque minha irmã morreu nova?
          - Ela já cumpriu o que Deus queria que cumprisse aqui na terra e agora ela foi para o céu.
          - Mas ela me deixou, deixou meus pais, nós a amamos. Como Deus pode tirar alguém que amamos para só porque já fez o que tinha que fazer?
           - Filho, nem sempre entendemos a vontade de Deus mas quando entregamos nossa vida a ele temos a certeza de que o melhor será feito. Foi isso que Brenda fez, sua vida era de Deus.
           - Então se eu entregar a minha vida a Deus, eu também vou morrer?
           - Vai morrer para o mundo e começar a viver para Deus. Brenda era uma jovem de Deus, ela fez sua a vontade de Deus. A morte para ela foi só uma etapa de uma vida eterna ao lado de Deus e assim é para todos aqueles que se entregam a Deus, quando a morte vem a vida eterna começa.
             - Vida eterna? Você está me dizendo do que Jesus falava na Bíblia sobre vida eterna, salvação da alma e essas coisas.
               - Estou. Você não deseja ter a vida eterna?
             - Desejo, a Brenda sempre quis me convencer de que a vida que eu levava só me traria tristeza, sofrimento e uma distância muito grande de Deus, só que eu não compreendi isso antes. Agora que o Senhor está me falando que as coisas começaram a fazer sentido.
               - Aceita Jesus meu jovem, não sabemos quando será a nossa vez de partir.
               - Eu vou orar, a Brenda me disse que quando eu estivesse preparado era para mim orar. "Senhor Jesus, eu me arrependo dos meus pecados, de todas as vezes que escolhi fazer a minha vontade ao invés da sua, perdoe os meus maus pensamentos, a minha incredulidade, as vezes em que me fiz de acusador e te acusei de tudo de mal que tinha acontecido, perdoe-me, eu te reconheço como meu único e suficiente Salvador. Amém"
             - A paz do Senhor irmão.
             - A paz do Senhor.
Felipe se sentiu melhor depois de ter feito o que a Brenda lutou tanto em vida para conseguir, a sua salvação. Ela havia escrito uma carta para ele assim que descobriu a doença, ele ainda não havia lido, ela disse:" - Quando eu partir, você lê".  E então ele guardou a carta e não pegou mais, depois que voltou do enterro e contou para seus pais que estavam tristes que havia aceitado Jesus, foi para o seu quarto, as lágrimas vieram ao seu encontro, as lembranças de Brenda vinham com tanta facilidade que era difícil não notar que faltava alguém naquela casa. Felipe abriu a gaveta, pegou a carta e começou a ler, dizia assim:

"De: Brenda
Para: Felipe

Sei que você não gosta que eu fale de Deus para você, todas as vezes que eu digo algo que Deus fez ou que eu mencione Jesus em alguma de minhas conversas você fica irritado, em breve irei partir, eu sei que não viverei muito tempo para ter outra oportunidade de te falar isso, tem que ser agora, nesse momento. Eu acabei de sair da quimioterapia e estou cada dia mais fraca, as minhas forças estão se acabando pouco a pouco, já não tenho mais cabelo. Eu não culpo Deus por nada do que está me acontecendo e não quero que você o acuse ou ache que Deus é mal, todas as coisas que ele faz tem um propósito, mesmo aquelas que a gente não entende. Em breve irei para junto dele e não quero que você, meu irmão sofra mais do que você vem sofrendo juntamente com nossos pais por minha causa. Eu quero te dizer que a minha vida aqui só fez sentido no dia em que eu comecei a compreender que deveria viver para Deus, eu me entreguei para sua vontade, a minha vida aqui foi para Ele e tudo o que eu fiz foi para que Deus fosse glorificado. Sabe Felipe, um dia eu estava triste porque o meu cachorro, o Bob, tinha morrido, fui para a Igreja e Deus me falou naquela noite que queria que sua vontade se cumprisse em minha vida, se o meu cachorro tinha morrido e eu tinha ficado triste mesmo sem ter sido eu que o tinha feito, imagina como Deus estava vendo tantas pessoas fora de sua vontade, se perdendo sendo que Ele os tinha feito e sonhado com eles antes mesmo de existirem. Naquele momento eu compreendi que Deus amava cada um de nós de uma maneira incondicional mas nós somos tão injustos e não damos valor a esse amor. Eu decidi viver sua vontade e torci em cada segundo da minha vida que você também fizesse o mesmo assim como eu e os nossos pais. Eu te amo meu irmão, nossos pais te amam mas eles também sofrem por vê você tão longe da vontade de Deus, vivendo sua própria vida, fazendo sua própria vontade. Volte pra Deus, te amo.
Receba o meu carinho onde estiver ♥"

Após lê a carta, Felipe chorou ainda mais. "Eu voltei pra Deus, graças a você irmã", falou sozinho. Daquele dia em diante Felipe era outra pessoa, aquele garoto imaturo agora era um cristão, responsável que fazia as coisas da maneira mais certa possível, aquela garota que conheceu em um final de semana acabou se tornado sua namora, noiva e esposa. Seus pais fundaram uma casa de apoio onde distribuíam cestas básicas juntamente com a irmã Maria para as pessoas que necessitavam, o nome era "Brenda de Jesus" em homenagem a Brenda, a menina que fez com que muitos enxergassem Jesus.

Escrito por: Edmara Oliveira








9 Comentários

  1. oieee tdo bem achei o seu blog uma gracinha...bem interessante!!!! nossa otima historia, bem envolvente!!! amore agora estou te seguindo! vc pode por favor me ajudar seguindo o meu tbm e curtindo a minha fanpage por favor? desde já te agradeço!!!que Deus te abençoe...bjão
    meu blog: dariatosmoda.blogspot.com.br
    facebook.com/DariatosModa

    ResponderExcluir
  2. Seguindo!!!
    Adorei o blog.
    Ótima semana!!!!

    http://dicasdalyz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. ai eu li tudinho,amei a historai muito linda>.<

    http://conectadas2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ótima reflexão!
    Linda mensagem, beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Que história linda *-*
    Você tem esse dom de escrever ! Muito bom, Deus te abençoe e te inspire a cada dia mais !

    http://nisso-pensai.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

13/07/2013

Um exemplo de menina

      
      Era difícil de compreender e talvez nem chegasse a entender o porque que Deus havia deixado sua irmã morrer, ela era tão dócil, alegre, um exemplo de menina de Deus. Na verdade ela sempre fez tudo o que Deus quis, nunca tinha ficado com ninguém, na escola só tirava notas altas, não respondia o papai e a mamãe e nem saía sem a permissão deles. Felipe não entendia o porquê Deus havia deixado sua irmã Brenda, tão nova de apenas 14 anos morrer de câncer, aquela maldita doença que só serve para arruinar a vida do ser humano.
       Antes de descobrir que estava com câncer Brenda era a mais feliz das garotas, uma cristã que só fazia o bem, todos os finais de semana ela ia com a irmã Maria visitar as pessoas necessitadas, elas levavam cestas básicas e também o amor de Deus através da leitura da Bíblia, viam no rosto daquelas pessoas um sofrimento que só Deus podia curar. Brenda se sentia melhor todas as vezes em que visitava essas pessoas, sentia que estava fazendo o que Deus queria que fizesse, ela também falava de Deus para suas colegas da escola, elas sempre a ignoravam, chegou até a ser chamada de "crente certinha", ela sabia que as suas colegas não entendiam que Deus era mais real do que elas mesmas, mesmo assim as perdoava e em seu coração não tinha ódio, o amor reinava em tudo o que fazia. Ela lia a Bíblia todos os dias, era o seu espelho, sabia como estava todas as vezes que a lia. Seu irmão, o Felipe era mais relaxado, não lia sempre a Bíblia e nem levava a sério a sua vida com Deus. Começou a se envolver com as meninas cedo, aos quinze anos já tinha tido três namoradas, agora que havia completado vinte anos estava começando a ser mais maduro mas continuava com as mesmas atitudes infantis. 
      Todas as vezes que ia na Igreja não assistia o culto inteiro, ficava para dentro e pra fora, as pregações sempre dizia o que ele não queria escutar, para ele era uma chatice ficar ouvindo aquelas coisas do tipo: "você tem que mudar", "Deus quer que você se arrependa dos seus pecados" e blá,blá,blá, arrasava corações mas não queria se meter com nenhuma garota da Igreja, se achava errado demais para querer se envolver com uma garota certa. Estava errado, disso estava certo, mas mudar envolve muita coisa que ele não gostaria de passar. Na escola ele sempre tirava a média para passar, nunca fez questão em ser melhor do que ninguém, para ele o que bastava é atingir o seu objetivo de passar de ano. Depois que sua irmã descobriu que estava com câncer sua vida mudou, ele não era o mesmo. Isso era a coisa mais ruim que podia acontecer na vida de alguém, uma doença, mas porquê ela, se perguntava todos os dias. Ela era a garota perfeita, se Deus quisesse castigar alguém, ele era a pessoa certa, pois sempre quis contrariar a vontade de dele em sua vida mas ela era tão frágil, delicada, amorosa, cristã, seus pais nem se importavam tanto com suas rebeldias quando olhavam para ela pois sempre fez tudo o que eles quiseram. Eles amavam falar para os amigos e parentes que sua filha era a número um da classe que os professores sempre a elogiavam, sem falar que era a número um na Igreja, o Pastor e os irmãos viviam citando ela como um exemplo a ser seguido, sem dúvidas, ela era a garota. Se Deus pretendia chamar a sua atenção, tinha conseguido. Felipe estava pra baixo, até deixou de lado essa história de que homem não chora e se viu aos prantos quando viu sua irmã começar a quimioterapia, sua vida virou de cabeça pra baixo, estava de dia e noite pensando se sua irmã teria chance de viver. Deixou de lado o futebol com os amigos, o cinema com a gatinha que conhecera no final de semana passado tudo para poder ficar ao lado de sua irmã no hospital, a essas altura não sabia se no futuro veria sua irmã se casando e se formando, não queria ser pessimista mas sabia que não. A vida é frágil e as pessoas nem sempre tomam os cuidados necessários para aproveitá-la como se deve. Seus pais viviam em função de cuidar de Brenda, os parentes e amigos já visitavam-a com mais frequência, todos que há viam choravam rios de lágrimas, não compreendiam o porquê de uma menina tão jovem estar no final da vida. Sempre temos a impressão de que a morte só vem para quem está velho mas a verdade é que a morte vem para qualquer um a qualquer momento e em qualquer lugar. Brenda morreu, aos quatorze anos e ás 14:00 h da tarde de uma quinta feira, levou consigo uma fé inabalável naquele que nos amou primeiro, Jesus, foi-se um exemplo de uma cristã que viveu até o último segundo de sua vida servindo a Deus. 
          Felipe se revoltou ainda mais contra Deus não admitia o que tinha acontecido, para ele se Deus tem o controle de tudo porquê deixou sua irmã morrer? Chorava, se lamentava, se derramava em cima do caixão de Brenda, seus pais estavam aos prantos, os amigos e parentes tentavam consolá-los mas não havia palavras para um momento como esse. A cerimônia de velório começou, Felipe esperou o Pastor terminar para depois conversar com ele. 
          - Pastor, porque minha irmã morreu nova?
          - Ela já cumpriu o que Deus queria que cumprisse aqui na terra e agora ela foi para o céu.
          - Mas ela me deixou, deixou meus pais, nós a amamos. Como Deus pode tirar alguém que amamos para só porque já fez o que tinha que fazer?
           - Filho, nem sempre entendemos a vontade de Deus mas quando entregamos nossa vida a ele temos a certeza de que o melhor será feito. Foi isso que Brenda fez, sua vida era de Deus.
           - Então se eu entregar a minha vida a Deus, eu também vou morrer?
           - Vai morrer para o mundo e começar a viver para Deus. Brenda era uma jovem de Deus, ela fez sua a vontade de Deus. A morte para ela foi só uma etapa de uma vida eterna ao lado de Deus e assim é para todos aqueles que se entregam a Deus, quando a morte vem a vida eterna começa.
             - Vida eterna? Você está me dizendo do que Jesus falava na Bíblia sobre vida eterna, salvação da alma e essas coisas.
               - Estou. Você não deseja ter a vida eterna?
             - Desejo, a Brenda sempre quis me convencer de que a vida que eu levava só me traria tristeza, sofrimento e uma distância muito grande de Deus, só que eu não compreendi isso antes. Agora que o Senhor está me falando que as coisas começaram a fazer sentido.
               - Aceita Jesus meu jovem, não sabemos quando será a nossa vez de partir.
               - Eu vou orar, a Brenda me disse que quando eu estivesse preparado era para mim orar. "Senhor Jesus, eu me arrependo dos meus pecados, de todas as vezes que escolhi fazer a minha vontade ao invés da sua, perdoe os meus maus pensamentos, a minha incredulidade, as vezes em que me fiz de acusador e te acusei de tudo de mal que tinha acontecido, perdoe-me, eu te reconheço como meu único e suficiente Salvador. Amém"
             - A paz do Senhor irmão.
             - A paz do Senhor.
Felipe se sentiu melhor depois de ter feito o que a Brenda lutou tanto em vida para conseguir, a sua salvação. Ela havia escrito uma carta para ele assim que descobriu a doença, ele ainda não havia lido, ela disse:" - Quando eu partir, você lê".  E então ele guardou a carta e não pegou mais, depois que voltou do enterro e contou para seus pais que estavam tristes que havia aceitado Jesus, foi para o seu quarto, as lágrimas vieram ao seu encontro, as lembranças de Brenda vinham com tanta facilidade que era difícil não notar que faltava alguém naquela casa. Felipe abriu a gaveta, pegou a carta e começou a ler, dizia assim:

"De: Brenda
Para: Felipe

Sei que você não gosta que eu fale de Deus para você, todas as vezes que eu digo algo que Deus fez ou que eu mencione Jesus em alguma de minhas conversas você fica irritado, em breve irei partir, eu sei que não viverei muito tempo para ter outra oportunidade de te falar isso, tem que ser agora, nesse momento. Eu acabei de sair da quimioterapia e estou cada dia mais fraca, as minhas forças estão se acabando pouco a pouco, já não tenho mais cabelo. Eu não culpo Deus por nada do que está me acontecendo e não quero que você o acuse ou ache que Deus é mal, todas as coisas que ele faz tem um propósito, mesmo aquelas que a gente não entende. Em breve irei para junto dele e não quero que você, meu irmão sofra mais do que você vem sofrendo juntamente com nossos pais por minha causa. Eu quero te dizer que a minha vida aqui só fez sentido no dia em que eu comecei a compreender que deveria viver para Deus, eu me entreguei para sua vontade, a minha vida aqui foi para Ele e tudo o que eu fiz foi para que Deus fosse glorificado. Sabe Felipe, um dia eu estava triste porque o meu cachorro, o Bob, tinha morrido, fui para a Igreja e Deus me falou naquela noite que queria que sua vontade se cumprisse em minha vida, se o meu cachorro tinha morrido e eu tinha ficado triste mesmo sem ter sido eu que o tinha feito, imagina como Deus estava vendo tantas pessoas fora de sua vontade, se perdendo sendo que Ele os tinha feito e sonhado com eles antes mesmo de existirem. Naquele momento eu compreendi que Deus amava cada um de nós de uma maneira incondicional mas nós somos tão injustos e não damos valor a esse amor. Eu decidi viver sua vontade e torci em cada segundo da minha vida que você também fizesse o mesmo assim como eu e os nossos pais. Eu te amo meu irmão, nossos pais te amam mas eles também sofrem por vê você tão longe da vontade de Deus, vivendo sua própria vida, fazendo sua própria vontade. Volte pra Deus, te amo.
Receba o meu carinho onde estiver ♥"

Após lê a carta, Felipe chorou ainda mais. "Eu voltei pra Deus, graças a você irmã", falou sozinho. Daquele dia em diante Felipe era outra pessoa, aquele garoto imaturo agora era um cristão, responsável que fazia as coisas da maneira mais certa possível, aquela garota que conheceu em um final de semana acabou se tornado sua namora, noiva e esposa. Seus pais fundaram uma casa de apoio onde distribuíam cestas básicas juntamente com a irmã Maria para as pessoas que necessitavam, o nome era "Brenda de Jesus" em homenagem a Brenda, a menina que fez com que muitos enxergassem Jesus.

Escrito por: Edmara Oliveira







9 comentários:

  1. oieee tdo bem achei o seu blog uma gracinha...bem interessante!!!! nossa otima historia, bem envolvente!!! amore agora estou te seguindo! vc pode por favor me ajudar seguindo o meu tbm e curtindo a minha fanpage por favor? desde já te agradeço!!!que Deus te abençoe...bjão
    meu blog: dariatosmoda.blogspot.com.br
    facebook.com/DariatosModa

    ResponderExcluir
  2. Seguindo!!!
    Adorei o blog.
    Ótima semana!!!!

    http://dicasdalyz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. ai eu li tudinho,amei a historai muito linda>.<

    http://conectadas2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ótima reflexão!
    Linda mensagem, beijos!
    islary34.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Que história linda *-*
    Você tem esse dom de escrever ! Muito bom, Deus te abençoe e te inspire a cada dia mais !

    http://nisso-pensai.blogspot.com/

    ResponderExcluir